• Menina Jasmim

Dicas para vender mais livros



Terminar um livro já é um grande desafio, mas assim que o autor conclui seu manuscrito, depara-se com algo muito maior: a incrível missão de vender seu livro. Hoje venho trazer algumas dicas de quem fez tudo errado quando entrou no mercado editorial e aprendeu (e ainda está aprendendo) bastante com seus próprios erros. Lembrando que tudo aqui são dicas e que mesmo se esforçando para vender seu livro, pode demorar algum tempo até ter um bom retorno. Nunca se esqueça que escrever e ser lido requer trabalho duro e paciência.

Dica 1: Estude antes de começar a escrever


Todo mundo já deve ter uma ideia de que estudo é muito importante para se crescer em sua área. Com escrita não seria diferente. Técnicas de escrita criativa, gramática, estilo, etc. Estudar e aprender o máximo de coisas que puder ajuda muito na hora de escrever seu livro e criar uma história interessante e coesa. Porém, hoje vou dar ênfase em uma coisa que nem todo mundo pensa antes de começar a trabalhar em seu manuscrito: estudar seu público-alvo e os livros mais vendidos.


Eu sempre fui o tipo de autora que escrevia o que queria, sem me importar em me “encaixar” em algum gênero. Ainda é algo que faço muito, mas sério, quando estou divulgando meus livros percebo como se torna difícil vender algo “avulso”. Então para facilitar sua vida, estude seus potenciais leitores ANTES de escrever um livro, assim como as obras mais vendidas (não apenas do seu gênero, mas principalmente). Cada gênero tem características próprias que se repetem e dão aquela sensação boa do familiar. Elas são importantes para atrair seu público e fazê-lo gostar de sua obra, indicando assim o livro para mais pessoas. Além disso, é muito importante saber para quem você está escrevendo, qual a faixa etária, os temas que mais gostam de ler, etc.


Estudar os mais vendidos ajudam exatamente em saber o que mais gostam de ler e o que vai vender com mais facilidade. Mas precisa ter cuidado para não seguir apenas uma referência e repetir o que sempre acontece quando algo estoura: uma série de livros muito parecidos surfando na onda do sucesso. Todos querem vender, mas ser original é o que vai destacar sua obra. Então veja o que está fazendo mais sucesso no seu gênero e em outros. Se são coisas que funcionam juntas, por que não tentar misturar e fazer algo diferente? Outra dica é tentar entender as carências dos seus leitores. O que ainda não tem em determinado gênero? O que falta ser trabalhado? Tudo isso ajuda a ter uma história que, mesmo sendo familiar, traz novidade.


Dica 2: Vá criando seu público leitor antes de publicar algo de fato

Grande parte do marketing hoje é feito pelas redes sociais, é por lá que leitores em potencial vão conhecer suas histórias e onde também irão indicar caso gostem do seu trabalho. Você não precisa ter algo publicado para ter leitores, só precisa saber usar as redes sociais e trabalhar seu marketing pessoal. Querendo ou não (e essa é a parte que detesto em ser escritora por ser muito tímida), o autor se divulga ao mesmo tempo que divulga sua obra. Seu nome é a sua marca e aprender a trabalhar isso faz com que seu livro chegue ainda mais longe. Você pode começar falando sobre os livros que gosta, compartilhando informações interessantes sobre escrita ou até mesmo seu processo enquanto escreve seu livro. Conhecer seu público-alvo ajuda muito aqui também, já que você deve criar seu plano de marketing baseado nas pessoas que pretende atingir.



Dica 3: As redes sociais são suas amigas, mas nem todas

Redes sociais têm forma diferente e são usadas por pessoas diferentes. É importante saber qual tipo de leitor se encontra em cada uma, para então começar a entender como funciona cada plataforma. Pode ser que você consiga crescer em todas, mas, sendo bem sincera, eu não indicaria tentar isso. Use seu tempo e energia de forma inteligente. Os algoritmos vão te perturbar para o resto da vida, então tente lidar apenas com aqueles que você tem certeza que poderá ter algum resultado e que goste mais.


Dica 4: Não subestime o poder de uma boa capa

Não deveria ser novidade para ninguém que a capa é a primeira coisa que chama atenção para o seu livro quando estar na estante da livraria ou em sites. Mas não é apenas de beleza que vive uma capa. Ela precisa: refletir bem sua história e O GÊNERO do livro. Ajuda muito mais ter uma capa que, de cara, você já sabe de que gênero a história é, além de evitar frustrações de quem comprou errado pensando se tratar de outra coisa. Artes de divulgação entram nisso. Tudo precisa estar gritando a ideia que você quer passar com o livro. É mistério? Capa misteriosa, tons que remetem à história, imagens que só de bater o olho o leitor já vai ter uma ideia do que esperar.


Dica 5: Ainda sobre sua imagem


Como falei na Dica 2, marketing pessoal é muito importante para crescer seu nome de escritor. Dito isso, você precisa cuidar da sua imagem nas redes sociais. E não, não estou dizendo para você ser uma pessoa falsa, mas saber o que falar e onde falar. A imagem que você passa pode influenciar muito na hora de alguém ler sua obra, ou de uma editora publicar seu livro. É importante ter autenticidade, mostrar o melhor e mais original em si, mas é importante também saber a hora de ficar em silêncio. Tudo isso vai depender do seu plano de marketing e, claro, do tanto que você acha que isso pode ou não ser importante para você. Mas é aquilo: seja você de verdade, faça amizades que combinem com você, converse com outros autores e leitores e mostre para todo mundo quem é a pessoa por trás das suas obras.




Estas dicas são para ajudar você que pretende crescer na carreira, mas como disse, nada é milagre. Muito sobre marketing é testar novas técnicas, ver o que funciona ou não e isso leva tempo e dedicação. Mas no fim o trabalho duro há de recompensar.


Espero que tenha gostado das dicas! Acha que eu deveria acrescentar mais alguma? Lembre-se, a conversa continua lá no twitter!



5 visualizações0 comentário
 

Por Menina Jasmim